agenciasBBeBradescoJeremoabo

A insegurança nas agências bancárias é um assunto que não sai de pauta na Bahia. Mais dois  ataques a bancos no interior foram registrados nesta madrugada. Os ataques viraram rotina e preocupam bancários e população. Desde janeiro foram registradas 29 ocorrências, sendo 28 só no interior. As mais recente foi na cidade de Jemoabo, no nordeste baiano, onde  aproximadamente 15 homens participaram da ação criminosa na madrugada desta quarta-feira(09). As agências atingidas foram a do Bradesco, que sofreu maior estrago, e a do Banco do Brasil.

Os bandidos, que ainda não foram identificados, conseguiram fugir. Não há informações sobre a quantia roubada.

O presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, alerta que, no caso do Banco do Brasil, a direção da empresa aproveita para fechar definitivamente as unidades. A medida faz parte da política de desmonte dos bancos públicos. Em dois anos, quase 50 agências do BB e da Caixa foram fechadas na Bahia.

SSP FALA EM REDUÇÃO

Na última fala do Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA), Maurício Barbosa afirmou que os  primeiros quatro meses de 2018 foram contabilizados 25 casos em todo o estado, contra 34, no ano passado. Os dados não incluem os assaltos desta semana. A redução em números percentuais ficou em 26,5%, com nove casos a menos.

Na avaliação da SSP, o resultado foi garantido pelo trabalho de inteligência, repressão e de prevenção. No mesmo período, cerca de uma tonelada de explosivos foram apreendidos em blitze, operações e através de denúncias anônimas. Ao todo, 50 assaltantes de banco acabaram presos, enquanto oito morreram em confronto com a polícia. Além disso, 21 armas foram apreendidas – dentre elas, cinco fuzis.

Depois da fala do Secretário Maurício Barbosa, já foram registrados mais quatro casos de assalto a banco na Bahia, de 25, passou para 29 ocorrências.

ACESSE A PÁGINA DO SINDICATO DOS BANCÁRIOS PARA VER A RELAÇÃO DAS AGÊNCIAS BANCÁRIAS ASSALTADAS