REDEERGUERLAPA-728x90px

IMAGEM_NOTICIA_5As Polícias Civil e Militar da Bahia aparecem entre as primeiras que mais tem “mortes decorrentes de intervenções de Policiais Civis em serviço de 2017”. De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2018, 50 pessoas foram vítimas das intervenções da Polícia Civil baiana e a ação da Polícia Militar, em 2017, deixou 610 vítimas.  O número absoluto perde para índices do Rio de Janeiro e São Paulo que aparecem em 1°e 2° da lista.

Colocados juntos, em 2017, Bahia e São Paulo concentrariam 49% das mortes decorrentes de intervenções de policiais militares em serviço. Os 610 casos no último ano, na Bahia, representam um aumento de 32% em relação a 2016. Fora de serviço, o anuário não registrou nenhum caso de morte decorrente de intervenções da Civil. No caso da Militar, o número de vítimas chega a 8.

A base de dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública levou em consideração informação de Secretarias Estaduais de Segurança Pública e Defesa Social, Polícia Civil, Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Monitor da Violência do G1 e o IBGE. (BN)