Avenida Duque de Caxias no cruzamento em frente a Farmácia União, a faixa que tinha já apagou e nunca foi feita outra. “Eu trabalho aqui nesse ponto, fico observando, é tanta coisa, falta muita educação, parece que certas pessoas não sabem de nada sobre andar direito”.

Transito caótico nos horários de pico, carros e motos em alta velocidade, equipamentos que deveriam organizar o transito, muitas vezes, sem funcionar, falta de sinalização e falta de faixas de pedestres. Este é o cenário do trânsito em Bom Jesus da Lapa, que trata o pedestre como insignificante. Mas é para ele, o passante, que o dia 8 de agosto é dedicado.

Nesta data é comemorado o Dia Internacional do Pedestre, em alerta aos cuidados que todos – de transeuntes a motoristas – devem ter no transito.

O site Notícia da Lapa foi em pontos principais, que concentram grande  fluxo de veículos e pessoas em Bom Jesus da Lapa para observar e ouvir algumas pessoas sobre o tema.

Os relatos são preocupantes.

Avenida Agenor Magalhães, no cruzamento em frente à Catedral Nossa Senhora do Carmo. “Aqui pela manhã e meio dia é difícil, para passar não é fácil, ninguém respeita ninguém, precisamos urgente de uma campanha educativa, que não seja só um dia”.

A pedestre, dona de casa, a senhora Maria dos Santos, foi abordada por nossa equipe antes de atravessar a Avenida Agenor Magalhães, no cruzamento em frente à Catedral Nossa Senhora do Carmo, localizado no bairro Amaralina. No local tem um fluxo fluxo constante de carro, moto e pessoas, mas não tem faixas de pedestres e sinalização adequada. “Aqui é estranho, um lugar como esse, tanto movimento, a gente fica perdida, tem o posto do lado, do outro uma Catedral, e ali uma escola, em nem um destes pontos tem uma faixa de pedestre ou uma placa orientando a motoristas ou os pedestres, tem só o semáforo, esse a gente não pode confiar, quando abre para os carros, se você tentar atravessa pelo outro lado entra outro carro ou uma moto, a gente termina correndo o risco”, conta a morada.

Avenida Santa Catarina. “Vocês tem que vim aqui meio dia, aqui é uma loucura, o povo entra sem olhar, tem uns motoqueiros, que o outro que entrou não parar ele bate. Para a gente ir naquela lotérica ali tem hora que tem que ir lá na frente para entrar na rua. Pensaram só nos carros”.

O Senhor Antônio Ferreira, morador da zona rural, que vem toda semana trazer hortaliças, lamenta. “Esse cruzamento aqui é um deus nos acuda, o povo não respeita a gente, se a gente segue por um lado entra um carro do outro. O povo não tem educação, tem gente que entra de vez, alguns motoristas param, outras vezes a pessoa tem que parar para não ser atropelado, outras vezes tem que correr”, disse revoltado.

“Sabe, aqui precisa de uma conscientização, e precisa que a gestão do município sinalize esses lugares principais, é uma vergonha, tem horas que é melhor nem ter esses semáforos, parece que o povo respeita mais, quando esses ‘bichos’ estão ligados, o povo vem correndo e do jeito que vem entra. Esses dias meu filho quase levou uma batida, o sinal abriu, ele entrou, veio outro igual um doido, se ele não para tinha levado uma ‘batida’. Você já pensou? Tem umas motos e uns carros que parece que andam com mais pressa que todo mundo, e coloca a vida dos outros em risco”, falou dona Ester de Araújo, dona de casa.

Cruzamento da Avenida Santa Luzia. “Olha aqui tem uma igreja, sempre tem alguma coisa, e fica cheia, para passar a gente tem horas que precisa andar até ali. Aqui não tem sinalização, nem uma faixa, quando o movimento está grande parece que o povo fica doido, os motoqueiros são os piores”.

“ Aqui tem um povo que também não respeita nada, acha que os carros têm que parar, os dois lados erram aqui, acho que precisa de uma campanha, e colocar sinalização, principalmente faixas, assim o povo passa no lugar certo”, reclamou o senhor Raimundo Alcântara, vendedor autônomo.

Recomendações

O fato é que os cuidados no transito devem partir de todos. É o que alerta a Guarda Municipal. Os cuidados são básicos. No caso de pedestres, é preciso atravessar as ruas na faixa, olhando para todo os lados, no caso dos lugares que não tem faixa, é preciso procurar o lugar mais seguro. Caso os equipamentos e sinais de transito estejam em falta, os cuidados devem ser redobrados. É preciso ainda priorizar a comunicação visual com os motoristas, e não atravessar a rua por trás de carros, ônibus ou arvores, já que a possibilidade de não ser visto é maior. Outra dica é caminhar sempre na contramão, de frente para o tráfego (sentido contrário aos veículos).

Para os motoristas, as recomendações também devem ser seguidas à risca e com atenção. É importante não induzir o pedestre a atravessar mais rápido – isto inclui utilizar as buzinas apenas quando necessário.

Respeitar o local da faixa do pedestre também é essencial. Além disso, dar a preferência para o pedestre e facilitar a travessia, além de evitar acidente, é um ato de gentileza.

O trânsito de Bom Jesus da Lapa está em processo de municipalização. A equipe de trânsito, formada por Guardas Municipais, já foi treinada, mas a sinalização das vias ainda está longe do ideal.

Compartilhe à Vontade

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui