REDEERGUERLAPA-728x90px

Edição: Emanoel Virgino

Ivone Cerqueira ft 2
Crédito da foto: J. Santos

Quem já ouviu e viu Ivone Cerqueira em ação, na certa teve as bênçãos dos orixás do povo da gira. Quem viver ouvirá e verá.

O fato é que a cantora/compositora carrega o estandarte da música regional de resistência, como quem mantém acesa uma vela eterna aos deuses afros, em forma de devoção e compromisso com as religiões de seus ancestrais.

Ivone Cerqueira nasceu em Utinga-Ba, e se criou no Território do Velho Chico, entre os municípios de Serra do Ramalho e Bom Jesus da Lapa. Bem jovem, começou as atividades artísticas por volta de 1999, tocando em festas, bares e festivais de música e poesia em companhia de seus irmãos Boy Cerqueira, Janeide Cerqueira, Léo Cerqueira e Mara Cerqueira e a amiga querida da família Jandira Borges. No mesmo ano participou do Festival Canta Vale, alcançando o terceiro lugar na modalidade “Poesia”, com o poema denominado “Um Amanhecer Livre”.

Nota-se que suas raízes culturais brotam desde sua casa pela convivência com a matriarca da família – Dona Valdira Cerqueira, rezadeira, contadora de estórias nata, filha de Artur Souza, famoso rezador na região da Chapada Diamantina, cuja voz era um referencial em eventos religiosos regionais, como: “festas de santos” e/ou eventos folclórico-religiosos, o que foi determinante para a Cantora definir seu estilo.

 A partir do momento em que os irmãos tiveram contato com o violão, Ivone pôde começar a exercer a vocação de compositora e cantora, o que já se anunciava desde cedo, quando ainda bem pequena compunha canções regionais batendo em latas e instrumentos rudimentares construídos por ela e seus irmãos.

Além das canções que compõem o seu primeiro Álbum, Peço Licença, seu repertório é recheado de outras canções de sua autoria, bem como parcerias com Fabiano Zappala, JaneideSirqueira, João Bá, Paulinho Jequié, Dinho Oliveira, Emanoel Virgino, Cláudio Bento, Herena Barcelos e Lilli da Motta, Amaury Jr, por enquanto.

Ivone Cerqueira ft 1
Credito da foto: J. Santos

Estão presentes também canções dos mestres Elomar Figueira de Melo, Geraldo Azevedo, Vital Farias, Belchior, Luiz Gonzaga, Zé Ramalho, Evandro Correa, Zeca Bahia, Chico César, Chico Buarque, Alceu Valença, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Raul Seixas, Dinho Oliveira, Paulinho Jequié, Paulinho Pedra Azul, João Bá dentre outros grandes nomes da MPB e Cantoria.

Outra influência importante no universo sonoro de Ivone é a música baiana da década de 80, cujas canções falavam da cultura africana, seu sofrimento e suas glórias, o que mais tarde viria ao encontro com a religião escolhida, Umbanda, onde aprendeu sobre o culto aos Orixás Ancestrais e falanges presentes na Umbanda, permitindo assim o surgimento de composições nesta temática.

Em 2013, a canção Cavaleiro Macunaíma, parceria com o músico João Bá, foi gravada no Álbum homônimo, que marcou os 80 anos deste grande menestrel brasileiro.

Em 2017, lançou o álbum Peço Licença, com 10 canções autorais e 1 parceria com sua irmã Janeide Sirqueira, produzido pelo violeiro e produtor João Arruda, no studioVentamoinho em Campinas, cujo álbum está repleto das inspirações baseadas em experiências vividas na Umbanda, especialmente no T.U. Ogum Guerreiro e Caboclo Sete Lua em São Paulo e, pesquisas sobre os Orixás Ancestrais. Ainda em 2017, lançou o single Coisa de Preto, canção nascida do poema homônimo, do poeta mineiro Cláudio Bento, e melodia criada por ela. Em 2018 disponibiliza o álbum Peço Licença nas plataformas digitais e participa do álbum Segredos do Coração de Gereba Barreto e poemas de J Santos e A Karneiro, interpretando a canção Mistérios Tribais com Gereba.

O projeto do álbum Eu Quero o Valsar das Flores está em andamento, contendo canções autorais e algumas parcerias, desta vez dedicando-se à cantoria regional.

 A trajetória de Ivone Cerqueira tem muita semelhança com a de muitos outros artistas. No transcorrer de suas andanças levando a boa música pelo Brasil a fora, já se apresentou em diversos espaços dedicados à Música Popular Brasileira e regional em cidades como São Paulo, Salvador e Bom Jesus da Lapa, Pocinhos – MG, especificamente na Rosa dos Ventos. Participou de festivais de música em Carinhanha, Nova Redenção 2017 e 2018 e do Sonora Festival em Ilhéus.

Entretanto, todos os anos é presença garantida na Marcha do Dendê, em Poções-BA, no mês de novembro, quando entoa pontos aos orixás durante o cortejo, como convidada especial dos organizadores da marcha.

Links para acesso ao álbum Peço Licença e o single Coisa de Preto: www.musicasregistradas.com/perfil/ivonecerqueira

Siga nossa página no Facebook e mantenha-se atualizado diariamente, clique e participe. Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do Site Notícias da Lapa  no (77) 99834-7559.

 

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui