A edição 2017 da Romaria de Bom Jesus da Lapa, na capital baiana da Fé (a 777 km de Salvador), foi encerrada neste domingo (6), com uma série de missas que começaram na madrugada. A procissão começou 18h e foi seguida pela celebração com  bênção de despedida dos peregrinos na Esplanada, em frente do santuário de pedra.

“Com o Bom Jesus e Nossa Senhora defendemos a vida”, este foi  o tema da festa, sendo parte de todas as pregações durante esses dias de Romaria, em defesa da vida e dos biomas brasileiros, chamando a atenção dos fiéis para o cuidado com os recursos naturais. “Nós não temos o direito em nome do lucro, do consumo destruir os recursos naturais que Deus colocou a nossa disposição e da geração que virá depois de nós. O custo dos danos ambientais provocados pela nossa negligencia ou também por nossa ganancia muito maior, do que o beneficio econômico, que se possa obter da exploração desses recursos naturais”, disse o Bispo  Diocesano de Bom Jesus da Lapa, Dom João Santos Cardoso.

Chamou a atenção ainda para a situação política do país, diante das reformas trabalhistas. “Tão pouco nós temos direito de destruir as conquistas trabalhistas, previdenciárias e sociais em nome do mercado e do crescimento econômico”, frisou.

O dia da festa do Santuário do Bom jesus da Lapa, além da presença de  milhares de romeiros de diferentes partes do país, contou também com a presença do prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, do Governador da Bahia, Rui Costa, de vários ministros de Estado e deputados estaduais e federais. Na oportunidade, Rui assinou um documento que reconheceu  a Festa do Divino Espírito Santo, celebração centenária da igreja católica, como um Bem Cultural Imaterial do Estado da Bahia. Além disso, a Romaria do Senhor Bom Jesus recebeu o Registro Especial Provisório como Patrimônio Imaterial do Estado.

A determinação foi aprovada pelo Conselho Estadual de Cultura da Bahia e autorizada pelo governador. Momento que vai ficar marcado na história do Santuário e no sentimento cultural e religioso dos fiéis do Bom Jesus da Lapa.

O santuário foi eleito a primeira das sete maravilhas do Brasil numa pesquisa feita pelo sítio da internet 7 Maravilhas Brasil. E recebe durante o ano todo cerca de 1,8 milhão de romeiros. Isso torna a cidade o terceiro maior ponto de atração do turismo religioso do país, atrás de Aparecida (São Paulo) e Juazeiro do Norte (Ceará).

O morro de pedra calcária e suas galerias de grutas foram descobertos em 1691 pelo português Francisco de Mendonça Mar, que havia saído a pé de Salvador, pelo sertão, com uma imagem do Jesus crucificado e outra de Nossa Senhora da Soledade, de acordo com os registros históricos do lugar.

Compartilhe à Vontade

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui