_99548105_untitledcollage-8

Governador de São Paulo, presidente da Câmara dos Deputados e ministro da Fazenda são nomes cogitados para as próximas eleições. Câmara dos Deputados Busca-se um candidato de centro: a nove meses da eleição presidencial, a viabilização de uma candidatura que aglutine forças “moderadas” tem sido tópico frequente do debate político brasileiro.

Os que defendem isso dizem ser necessária a união das “forças não extremadas” (termo usado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, em artigo recente) como alternativa aos dois líderes nas pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL). Nomes identificados com o liberalismo econômico, uma bandeira tradicionalmente de direita, têm postulado essa posição.
É o caso do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), com longa carreira no mercado financeiro até se tornar presidente do Banco Central no governo Lula (2003-2010), do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

PCC financia igrejas e pode influenciar eleição, diz ex-desembargadorO dia em que acidentalmente matei um menino – e como essa tragédia marcou a minha vidaJá Marina Silva, que buscou se apresentar como “terceira via” entre PT e PSDB em 2014 e agora é pré-candidata da Rede, tem sido menos citada, mas foi lembrada no artigo de FHC como outro nome possível.

Fonte: BBC

Compartilhe à Vontade

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui