Fonte: Aratu Online

capa
Fotos reprodução, montagem Notícias da Lapa

A instalação de um futuro Hospital Regional anunciado inicialmente que seria na cidade de Santa Maria da Vitória tem sido alvo de debates entre prefeitos dos municípios que compõem a Bacia do Rio Corrente. O motivo da divergência é a localização do hospital. O prefeito de Correntina, Maguila (PCdoB), alega que o seu município deve sediar a unidade de saúde, já que existe uma construção em andamento na cidade. No entanto, a decisão não é apoiada pelo prefeito de Santa Maria da Vitória, Renatinho (PP), que defende a implantação do  novo hospital na cidade onde exerce mandato, já que é considerado o principal município da Bacia do Rio Corrente.

No entanto, a alegação do prefeito de Correntina é que já existe uma obra em andamento na cidade. Uma unidade de saúde, construída com verba municipal, já está quase pronta, e, segundo ele, tem capacidade para sediar um hospital regional e atender os dez municípios que fazem parte da Bacia. A obra, que já vinha se arrastando há três anos, já foi inclusive visitada pelo secretario estadual de Saúde, Fabio Vilas Boas, que esteve no local para avaliar a estrutura da unidade. De acordo com ele, a construção está em bom estado e poderia ser ampliada.

Apesar disso, a inauguração do hospital está se arrastando. A proposta do governador é de criar um novo modelo de funcionamento, onde os municípios ficam responsáveis por custear 60% das despesas de manutenção. Segundo avaliação do governo do estado, o valor mensal para manter o hospital é de aproximadamente 2,5 milhões, desse valor 1,5 milhão seriam divididos entre os municípios proporcional ao número de habitantes. Por isso, a decisão de sediar o novo hospital regional depende do apoio dos prefeitos da Bacia do Rio Corrente, já que a unidade será mantida pelo Consórcio da Saúde.

O prefeito de Correntina, Maguila, alega que não se trata de disputa regional. A prefeitura defende que, apesar de precisar de alguns ajustes, toda a estrutura já está pronta, e que, dessa forma, a instalação do hospital regional em Correntina economizaria dinheiro público. Segundo a assessoria de comunicação de Correntina, a instalação do hospital poderia ser feita ainda este ano. Se Santa Maria da Vitória sediasse o hospital regional, precisaria iniciar a obra do zero.

No início do mês de março, o secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas e sua equipe técnica visitaram o Hospital José Borba, na cidade de Santana Maria da Vitória, e na oportunidade ficou afirmado que o Hospital Regional seria no município.

Enquanto a situação não se resolve, os habitantes de Santa Maria da Vitória, Correntina  e dos demais municípios precisam se deslocar até até Barreiras, caso necessitem de atendimento em um hospital de grande porte. No entanto, o hospital de Barreiras fica entre 152 e 285 km de distância das cidades que fazem parte da Bacia do Rio Corrente, que possui mais de 200 mil habitantes, ao todo.