Construções sem autorização e pisciculturas são alvos de inspeção nos Cânions do Rio São Francisco

0
LojaoCosta-350x250px

monario-1024x682
A expedição percorreu mais de 200 km de cânions. (Fotos: Tiago Almeida e Emerson Silva)

Exército, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Pastoral da Pesca, Corpo de Bombeiro da Bahia, Instituto de Meio Ambiente de Alagoas, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), BahiaPesca, Trade de Turismo e fiscais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizaram a 2ª Inspeção nos Cânions do Rio São Francisco. A atividade percorreu todo o lago da represa da Hidroelétrica de Xingó, em linha reta o lago tem mais de 60 km, porém, foram explorados os chamados “braços” do rio. A expedição percorreu mais de 200 km de cânions.

A inspeção teve como principais alvos: a identificação de possíveis construções sem autorização, catalogar todas as pisciculturas existentes na Unidade de Conservação, listar os pontos de captação de água e inventariar atrativos turísticos existentes e potenciais. O Monumento Natural do Rio São Francisco foi criado com o objetivo de preservar ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Segundo Emerson Leandro, chefe da Unidade, com a atividade se conseguiu, através da participação de equipes multidisciplinares, fazer uma pesquisa captando informações para compor o banco de dados da gestão da Unidade e ajudar no planejamento estratégico. Para ele, é de grande relevância que eventos façam parte do cotidiano da gestão do Monumento Natural do Rio São Francisco, para acompanhar in loco as ações antrópicas que podem ocorrer no interior da UC e, principalmente, para identificar focos de poluição, desmatamento, pesca predatória e degradação da beleza cênica dos cânions do Rio São Francisco. Manoel Foguete, conselheiro do setor turístico da UC, relatou que as informações coletadas serão importantes para ajudar na elaboração do plano de manejo do Mona do Rio São Francisco, já que terão dados que servirão tanto para a gestão da Unidade como para toda comunidade e órgãos governamentais que atuam no local.

Sobre o Monumento Natural – Unidade de Conservação de Proteção Integral Monumento Natural do Rio São Francisco está inserida no bioma Caatinga. Caracteriza-se, sobretudo, pelo exuberante espelho d’água do lago da Usina Hidrelétrica de Xingó, pertencente à CHESF, e seu entorno formado pelos magníficos paredões rochosos, cobertos pela vegetação de Caatinga e ainda são ilustrados por pinturas e gravuras rupestres nos sítios arqueológicos.

A gestão da Unidade, juntamente com todos os setores do conselho consultivo, tem um só objetivo para o futuro, conservar a vegetação, os animais e as belezas cênicas do local, fomentando parcerias com os diversos setores da sociedade civil, contribuindo para o aprimoramento da gestão, permitindo que a UC cumpra os seus objetivos, agregado ao desenvolvimento social e à preservação dos ecossistemas. Em 5 de junho, a UC completou 10 anos de criação.

Com informações do ICMBio.

LojaoCosta-350x250px