Prefeito Eures Ribeiro faz balanço de terceiro ano do segundo mandato na Prefeitura de Bom Jesus da Lapa

0
LojaoCosta-350x250px

O Prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da UPB, Eures Ribeiro, esteve na Rádio Baiana FM nesta segunda-feira, 30 de dezembro,  e concedeu uma entrevista. Na oportunidade, o atual chefe do Executivo fez um balanço das ações da administração pública neste ano de 2019 e planos para 2020 na Prefeitura.

LojaoCosta-350x250px

Eures iniciou a fala afirmando que estava muito feliz, finalizando o terceiro ano do seu segundo mandato, lembrando da inauguração de uma Escola no Distrito de Favelândia, que foi inaugurada às véspera da virada do ano. Destacando, que num momento em que  a maioria dos prefeitos estão preocupados com a folha de pagamento, e muitos com o 13º  salário atrasado, ou até com dois três e quatro meses atrasados, Bom Jesus da Lapa está tudo em dias.

Rateio do FUNDEB

Ele destacou, que o 13º foi pago a todos os servidores, e os únicos que não receberam foram os que iriam receber o rateio do FUNDEB, já que a última parte do recurso entraria até o dia do último dia útil do ano. “Se eu ratear antes, os professores vão receber antes do previsto”. E para os professores não ficarem sem dinheiro na virada do ano, ele autorizou o pagamento da folha de pagamento, e depois geraria uma outra folha complementar, pagando os profissionais no 02 de janeiro de 2020. “Então tudo que cair até o dia 31 é do professor, é do rateio. Nós também vamos passar uma parte para o pessoal de apoio, que é as merendeiras, os secretários escolares, que é um valor menor, e também para aos auxiliares”.

Eures afirmou que não irá repassar nenhum valor para os guardas escolares, porque a gestão não está satisfeita com o serviço dos profissionais, já que ele tem recebido muitas reclamações do serviço oferecido pelos mesmos. E lamentou, que durante o ano de 2019, teve muitos guardas que só iam na escola para ligar as lâmpadas, e iam dormir. E que em 2020 irá abrir sindicância para apurar o “tanto de denúncias que tenho recebido de guardas e vigilantes de escolas, que só ligam a lâmpada de escola e vão para casa dormir”, e destacou, que não era justo ratear recursos com quem não tem compromisso com a educação.

Rateio do FUNDEB em 2020 será distribuindo por produtividade

O prefeito frisou também, que em 2020 o valor do rateio será maior, e em função disso, irá criar critérios para distribuição do recursos, avaliando o desempenho dos professores durante o ano letivo. Segundo o gestor, a maioria dos professores de Bom Jesus da Lapa têm compromisso, tanto é que a educação avançou mais uma vez, lembrando do resultado que levou uma estudante da rede municipal a representar a cidade  e a Bahia na fase  presencial da Olimpíadas de Português. No entanto, lembrou, que “tem uma pequena minoria que não tem levado a sério o trabalho, e que precisa ser avaliada”.

Sobre as reclamações da população

Ribeiro pediu que a população o ajude em 2020, já que em 2019 ele recebeu muitas reclamações. A  partir disso buscou ajustar os pontos cobrados, e que as cobranças precisam continuar. Dando como exemplo, a mudança que ele fez na direção de uma escola, onde a Diretora não estava levando a sério o trabalho, e a partir da cobrança da comunidade, ele teve que repensar a lógica das indicações políticas, que não contribuem para uma boa gestão.

Aumento de recursos para os PSF’s do município

O prefeito frisou que no início da sua gestão o município de Bom Jesus da Lapa tinha 9 postos de saúde, e hoje tem 30 unidades, superando o município de Barreiras que tem mais do dobro da população lapense. E que quando sai o resultado, o valor que é direcionado para os PSF’s ele fica com vergonha, com receio dos seus colegas, por pensarem que Bom Jesus da Lapa tá ganhando muito, e ser uma gratificação por ele está na direção da UPB, no entanto, o valor é fruto da produção da gestão, que ampliou o atendimento, já que o SUS é criterioso, e quem produz recebe, e quem não produz não recebe. “Quando sai a súmula de recurso, primeiro lugar vem Salvador, depois Feira de Santana, e depois de Feira, Bom Jesus da Lapa. Recebemos porque de fato a gente produz. Porque todos os postos estão funcionando com médico, e são 30 unidades de PSF’s”, disse.

Sobre reclamações da população com o atendimento em alguns PSF’s

Ribeiro disse não ser com todos, mas que tem recebido muitas denúncias do atendimento em alguns postos de saúde, e espera que as reclamações se “multipliquem”, e que as pessoas falem com ele, para que sejam tomadas todas as providências necessárias.

Ele relatou que “tem funcionários levando medicamentos para casa dos postos de saúde”, de acordo com as muitas denúncias recebidas. Em função disso, está colocando um gerente em todas as unidades, para que seja feito o controle do que entra e que sai [almoxarifado], a partir deste mês. “Vou colocar em todos os postos de saúde um gerente. É o gerente que vai me dizer tudo, o que tá e o que deixa de tá”. E que acompanha o movimento da UPA e do Hospital Carmela Dutra por meio de câmeras, acompanhado pelo seu celular, o que ajudou a melhorar o atendimento nas unidades de saúde. E quando alguém faz uma reclamação desses locais, imediatamente ele já busca averiguar para saber o que aconteceu por meio das imagens. Porque é preciso que as pessoas, antes de fazer qualquer reclamação ou afirmação, averiguar para saber o que aconteceu ou está acontecendo, considerando que acontece muitos imprevistos, e o atendimento precisa dá prioridades aos casos mais graves. “Eu não admito coisas erradas, e se a população ver alguma coisa errada, no hospital, UPA, escola, ou qualquer órgão do município, tem que denunciar, porque eu não gosto de coisa errada. São vocês que são os ficais do município, porque o dinheiro não é meu, é do contribuinte”.

Sobre o desempenho dos servidores municipais

Sobre o desempenho de alguns servidores, o radialista Cid Charles Fernandes, comentou com empolgação o projeto do Ministério da Economia, Paulo Guedes, que planeja mandar, no pacote da reforma administrativa que será enviado ao Congresso no início de 2020, um projeto de lei para instituir e regulamentar o processo de desligamento de servidores estáveis por mau desempenho, e que o servidor “vai ter que entrar na linha” com a proposta. Sobre o tema, o prefeito afirmou que o projeto precisa passar por alguns ajustes, já que tem alguns prefeitos, que por ventura, não tolera crítica do servidor, por ser irresponsável ou atrasar salário, será perseguido. E que a proposta elimina todos os direitos do servidores. E destacou, que é preciso fazer um projeto que limite a estabilidade, no entanto é preciso dar direito também, ao servidor. Porque tem todo tipo de prefeito, que se o servidor for cobrar dele alguma coisa que não está certa, ele pode ser demitido, como se fosse uma “amordaça”, que é o direito do trabalhador. “A gente tem servidor que é comprometido”.

O prefeito finalizou dizendo, que existem muitos servidores bons no serviço público, e que na maioria das vezes as pessoas terminam generalizando, por causa de alguns que são ruins. No entanto essa regra não pode ser aplicada no geral. E deu o exemplo do município, que a maioria dos servidores são bons, e só tem uma minoria que não leva o serviço público a sério. “Infelizmente, quando essa minoria apronta, termina respingando na maioria. Eu falei aqui que tem gente desviando medicamento, só que é um ou dois, mais na boca da população parece que é todo mundo que está fazendo”.

Ribeiro finalizou o assunto, afirmando que 97% dos servidores municipais são comprometidos, e os outros 3% não tem compromisso. “97% dos nossos professores é comprometido com a educação, 97% dos nossos servidores da saúde é comprometido com a saúde, e que essa minoria não pode baixar o bom trabalho realizado por essa maioria, é isso que infelizmente acontece”, destacou.

Sobre o seu grupo político

Eures pediu desculpas ao seu grupo pela última entrevista que ele deu, onde afirmou que tinha gente do seu grupo que “fedia”. E que apenas 3% do seu grupo não está fazendo o que deveria, e essas pessoas têm que saber que não estão fazendo as coisas certas, e precisam mostrar para sociedade que tem compromisso com o município. E que a partir  disso melhoraria o seu discurso. Destacando  que tem 97% do seu grupo bom, mais que tem 3%   que precisa ser melhorado, adequado ao sistema e ao projeto da maioria. “Não é a minoria que tem que levar a maioria para pensar como ela pensa, mas é a maioria que tem que impor a minoria, que do jeito que ela faz tá errado, e que ela tem que mudar”. E exemplificou mais uma vez, afirmando que é igual aos servidores público do município, que 97% é comprometido, e os outros 3% não tem compromisso. E a maioria precisa cobrar, para não deixar que a minoria sobressaia.

O gestor concluiu a colocação afirmando que  os professores precisam cobrar do colega que não cumpre com sua obrigação, porque não é justo que uns façam tanto e outros não fazem quase nada. “Os bons tem que mostrar para os ruins o que não está certo, mostrando o que precisa melhorar. Assim a gente vai ter o conserto, tanto do servidor público, como do nosso grupo político”.

Sucessão Municipal

Eures disse que quer eleger o seu sucessor com 100% de bom. “Eu não quero com 97% de bom e 3% de ruim não, porque uma ovelha ruim bota o rebanho a perder”. E que até maio de 2020 ele encontra o nome no seu grupo para indicar a sucessão.

O prefeito afirmou que não opinou ainda sobre o possível nome para evitar conflitos políticos no grupo, já que muita gente quer ser prefeito, e só tem uma vaga, e que ele precisa pedir sabedoria a Deus para poder escolher o melhor nome, capaz de dar continuidade ao trabalho em prol da cidade.

Maior desafio a frente da prefeitura de Bom Jesus da Lapa

Segundo o prefeito o maior desafio foi conseguir recursos para  dar andamento as obras no seu último ano de governo. E mudar a lógica da romaria, que era desorganizada, onde a gestão recebeu muitas críticas quando começou as fazer as mudanças para melhorar o evento.

Ele destacou que precisou agir com o apoio da polícia, diante da grande invasão de vendedores, os quais vinham de São Paulo, sem contribuir em nada com a cidade. Já que não era justo a município investir para melhorar a romaria, os vendedores virem de fora, e “bagunçar tudo”. Na oportunidade Eures agradeceu o Tenente Coronel Normanha, que deu todo apoio com a Polícia  Militar, para que as ações fossem feitas, em prol das melhorias da romaria, a exemplo da retirada das carroças que atrapalhavam o trânsito.

Investimento de 25 milhões para melhorar a Romaria

O prefeito afirmou que serão investidos 25 milhões na “obra da Romaria”, que é uma das mais esperadas. Com construção do calçadão e a demolição de vários imóveis, que já foi iniciado o trabalho. E segundo o prefeito, a prefeitura inicia na próxima semana as demolições das casas, para criação de uma nova avenida. E que as negociações para desapropriação das residências recomeçam no dia 02 de janeiro, e seguem até o próximo dia 15, como também a derrubada de uma parte do jardim da Casa Paroquial.

E frisou, que será iniciada  também, as obras da nova praça, no lugar da Antiga Praça da Prefeitura, que de acordo o prefeito, vai homenagear os romeiros e o Monge. “É uma praça que foi projetada na Europa, e todas as peças vão vir de navio, no mais fino mármore, no estilo de Paris e de Roma, que a gente vê nos livros e na televisão. Então é algo realmente extraordinário que vai marcar a paisagem turística de Bom Jesus da Lapa”, disse.

Ainda de acordo o gestor, a praça da Antiga Prefeitura, depois da obra, vai se chamar Praça do Romeiro. “Os romeiros deram tudo para gente, então é justo que tenha algo na cidade que homenageie os romeiros, que “fizeram a grandeza de Bom Jesus da Lapa”. E na oportunidade Eures destacou que não existe em nenhum lugar do mundo uma gruta igual a de Bom Jesus da Lapa, que precisa ser mais valorizada pelos lapenses.

O prefeito afirmou que a gestão vai estudar a Romaria, e saber de fato quem vive da romaria na cidade, e essas pessoas serão protegidas pelo poder público. “Vou dar a oportunidade ao povo da Lapa. A grande geração de emprego, nós já temos, que é a romaria. A fábrica de gerar emprego e renda é a romaria, e não podemos deixar que o povo de fora tire a oportunidade do nosso povo”.

Ele disse ainda, que vai oferecer cursos pelo Sebrae para qualificar os vendedores da cidade, e até criar incentivos financeiros, se for o caso, para que todos possam ganhar dinheiro, e ser os “mascates” oficiais da romaria, para não precisar vir gente de fora.

Aumento dos romeiros na cidade

Eures afirmou que a cidade de Bom Jesus da Lapa não recebe hoje só romeiros que vem de pau de arara, mais romeiros que vem de várias partes do país. E que a romaria continua durante todo ano, com gente lotando a cidade todo final de semana. E quanto mais a prefeitura organizar a cidade, mais vai receber visitantes.

Ele afirmou ainda,  que a população  precisa compreender que as mudanças são necessárias para fazer a cidade crescer mais, atraindo mais romeiros, e com isso gerando mais emprego e renda. Que antes era uma “coisa bagunçada”.

Implantação do Corpo de Bombeiros na cidade

Eures afirmou que já foi autorizada a construção da base da Unidade do Corpo de Bombeiros Militar de Bom Jesus da Lapa. E que além dos incêndios que tem acontecido na cidade, a romaria precisa de mais apoio, e que a partir de fevereiro deste ano começa a ser feita a obra, onde era a antiga Cesta do Povo.

Doação de 1.500 lotes

De acordo o prefeito serão doados de 1.500 a 2.000 lotes na cidade, e que a gestão está trabalhando já com as inscrições que foram feitas.

Eures finalizou a entrevista agradecendo pela oportunidade que o povo de Bom Jesus da Lapa deu a ele, para ser prefeito do município, e que tem muito orgulho, e exerce a função de gestor com dedicação. E que mesmo no último ano de mandato, serão feitas muitas obras, tanto na sede como no interior do município. Com destaque para entrega da Rodoviária, das UTI’s, com a reforma do hospital, como também a entrega do Hospital de Hemodiálise, considerando que os pacientes de Bom Jesus da Lapa não poderão fazer o tratamento mais em Guanambi, e terão que ir para Barreiras, e que a inauguração, “o mais tardar”, no mês de março, como também terminar o calçamento dos bairros que foi iniciado, com as calçadas.

Oposição

O prefeito frisou, que seus adversários tentam afastá-lo da prefeitura, que criaram rumores que ele seria preso, e que perderia o mandato, criando a cada dia uma conversa diferente. E que independente da oposição conseguir êxito nas suas investidas ou não, de tirar ele do cargo, a população não precisa se preocupar, porque as obras não vão parar, porque os recursos estão garantidos.