Após morte de indígena, governador realiza reunião para discutir conflitos agrários na Bahia

0
GrupoSCosta-350x250px

Via Bahia.ba

Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Com objetivo de discutir o conflito de terras, que resultou na morte de uma indígena pataxó no último domingo (21), em Potiraguá, no sudoeste da Bahia, o governador Jerônimo Rodrigues convocou representantes dos poderes públicos. Durante a reunião, que aconteceu nesta segunda-feira (22), no Centro de Operações de Inteligência (COI), em Salvador, foi criado um grupo de trabalho para apresentação de estratégias de construção de soluções pacíficas para a regulamentação fundiária dos povos tradicionais.

“Nos reunimos para tratar da situação do acontecido com a morte de uma indígena, mas, também, para frear qualquer tipo de violência contra povos e comunidades tradicionais. Vamos nivelar as ações de cada um, manter a autonomia de cada órgão aqui presente, mas aqui saímos com um grupo de trabalho para que possamos apresentar de forma coletiva ações individuais, mas que nos unificam em prol da defesa do direito e da constituição”, frisou o governador sobre não restringir a atuação do estado ao assassinato de Nega Pataxó.

BahiaFArmShow-350x250px

O governador Jerônimo Rodrigues ainda disse que a ministra Sônia Guajajara está na Bahia e que o trabalho conjunto envolve também o Governo Federal. “Guajajara está em território baiano com os nossos secretários, com as forças que aqui estão e naturalmente faremos um trabalho unificado para garantir o direito e que a justiça seja executada pelos órgãos competentes”, completou o chefe do executivo.

A procuradora-geral de Justiça Norma Cavalcanti, do Ministério Público da Bahia, lamentou o homicídio e detalhou como está sendo a atuação do órgão. “Lamentamos profundamente a morte da indígena Pataxó e designamos o nosso Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (GAECO), para atuar partir de amanhã no caso. Essa reunião de todas as entidades do sistema de justiça é muito importante para resguardarmos a paz no Estado. Mas, a nossa meta é salvar vidas e trabalharmos por uma justiça mais eficaz”, reforçou.

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA), com dois homens apontados como integrantes do grupo Invasão Zero, foram apreendidas duas pistolas, dois revólveres, carregadores e munições. A dupla e as armas de fogo foram apresentadas na Delegacia Territorial (DT) de Itapetinga.