SAAE: Diretor Gerson Nunes concede entrevista para esclarecer polêmicas e falar sobre os episódios de falta de água

0
LojaoCosta-350x250px

O assunto mais debatido pelas autoridades e pela população de Bom Jesus da Lapa é o SAAE. Autarquia municipal responsável pela prestação dos serviços de abastecimento de água e gerenciamento do sistema de esgoto. Rompimento de adutora, falta de água na cidade e privatização. Estas são as principais pautas.

Para explicar a sociedade lapense sobre as causas desse conjunto de problemas e os encaminhamentos pra resolver estas demandas, o Diretor do SAAE, Gerson Nunes, esteve na Rádio Bom Jesus, nesta quarta-feira, ao meio dia.

Gerson se dispôs a falar de forma transparente das mais diferentes áreas para “dar satisfação já que a população de Bom Jesus da Lapa, já que o SAAE é autarquia municipal prestadora de serviço público e que tem funcionários trabalhando em beneficio da população.

LojaoCosta-350x250px

Falta de Água na cidade

Gerson lamentou os problemas dos últimos dias e disse que foram de ordem operacional. Sendo que se deram em virtude de um rompimento da rede de abastecimento da água. Ele explicou que há dias, essa adutora passou por manutenção, mas o rompimento foi num outro trecho “mais a frente que acabou rompendo”.

O que o SAAE fez?

A equipe começou os reparos desde a madrugada do dia 7 para retornar o serviço de água normalmente o mais rápido possível. Foram feitos os reparos devidos e o sistema voltou a funcionar normalmente.

Por que demorou a ter água nas torneiras das residências?

As residências foram prejudicadas por conta de como foi planejado o sistema. Não há um reservatório para receber a água tratada.O Diretor do SAAE, que também é servidor de carreira da Autarquia, explicou que o sistema de abastecimento de água é antigo e foi planejado sem um reservatório. Bom Jesus da Lapa não tem um reservatório para receber a água tratada.

Gerson detalhou que a estação do SAAE trata a água, que e vai para os reservatório dentro do próprio SAAE e depois é bombeado para a cidade. Existe apenas um reservatório de compensação no Bairro Amaralina. Lugares mais altos e áreas mais distante, demora-se mais para fazer um reabastecimento.

O sistema começou a bombear água para cidade, que havia sofrido um desabastecimento, mas um outro problema ocorreu. Que não foi de responsabilidade do SAAE. Com menos de 48 horas houve um curto circuito do transformador na rede elétrica que abastece o sistema de tratamento, parando assim novamente o serviço de abastecimento de água que já estava operando. Gerson contou que a COELBA foi acionada e prontamente chegou, mas que ela levou um tempo para conseguir o material específico para o reparo elétrico. “Fato nunca ocorrido nos meus quase 3 anos a frente da Autarquia [a queima de um transformador]”. Isso tomou uma dimensão muito maior e demandou uma série de reclamações.

Gerson Nunes lamentou que oportunistas tentaram macular a imagem do SAAE, que presta um serve a 53 anos a população de Bom Jesus da Lapa. O problema foi momentâneo e algumas pessoas estão generalizando.

Alguns problemas são antigos, outros surgem, mas o que está sendo feito pela atual administração para melhorar a situação do abastecimento de água em Bom Jesus da Lapa?

Gerson afirmou que a Direção não está sendo omissa. A primeira medida que teve quando assumiu a gestão do SAAE foi planejar ações para atender demandas da população de forma satisfatória.

“Não peguei o SAAE sem problemas, mas não apontamos culpados, assumimos o nosso papel e desenvolvemos o nosso trabalho para resolver os problemas”, disse.

– Estamos fazendo a maior rede adutora de água em 53 anos de SAAE – da Lagoa Grande que está circulando a cidade e será interligada na Avenida Almirante Beirute. O dobro do que existia. Do que foi feito em 53 anos.

– Priorizamos o tratamento e a distribuição de água na estação; Melhorias no processo de tratamento da água. Reduzindo a perda da capacidade de tratamento.

– Melhorias na parte elétrica com um banco capacitor para melhorar o fornecimento de energia para nossas bombas.

– Foi feito a contenção da perda de água no tratamento. Redução de 50 por cento dessa perda.

– Implantação do Sistema de telemetria para acompanhar em tempo real como está o abastecimento de água na cidade.

– Aumento da área de distribuição

– Adutora da fazenda campos – preparada para um abastecimento eficiente

Construção de 1 km de rede para melhorar o abastecimento da Salinas e a construção de um reservatório elevado.

Reforma e ampliação do prédio do SAAE para melhorar o atendimento a população. “Antes existia infiltração, pisos soltando”.

“ Estamos avançando. Tudo isso com muito zelo”, disse Gerson.

Ele explicou que os gastos com o sistema de tratamento são caros e o atual sistema tem algumas limitações. “Ela está na parte mais baixa. Bombeamos água ladeira acima [12 metros da estação] até a Amaralina”.

Nova adutora

O diretor do SAAE disse da necessidade de se construir uma nova adutora, que está orçada em 24 milhões de reais. “Nós não temos esse recurso em caixa”, disse Gerson Nunes.

Como os recursos do SAAE são limitados, um dos objetivos da Direção é que após a finalização e aprovação do Plano Municipal de Saneamento Básico, que custou 800 mil reais, pagos pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco com o apoio da prefeitura, o município possa buscar auxílio financeiro junto ao Governo Federal e Estadual para custear a obra, que é fundamental para o novo momento de crescimento da cidade.

Reconheço que a população precisa de maior assistência e ser melhor atendida. Nos temos condição de superar esses desafios e é isso que no dia a dia toda a Autarquia vem fazendo nas suas ações.

Assista parte da entrevista do Diretor do SAAE:

Gerson Nunes também falou da falou sobre as conversas que saiu nas redes sociais de uma possível   Privatização do SAAE. Acompanhe na matéria seguinte.

Siga nossa página no Facebook e mantenha-se atualizado diariamente, clique e participe. Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do Site Notícias da Lapa  no (77) 99834-7559.