SAAE: Durante entrevista Eures Ribeiro elogia Gerson Nunes, mas condiciona ajuda ao SAAE ao ajuste da folha de pagamento: “tem funcionários ganhando acima do normal na instituição”

0
LojaoCosta-350x250px

Um áudio do prefeito Eures Ribeiro foi capaz de explodir o debate nas cidade sobre o SAAE e sobre eventual privatização.

O áudio de Eures dizia que “infelizmente se continuar faltando água, eu vou ter que terceirizar, para fazer investimentos e colocar água onde não chega”. Isso criou um série de discussões por parte da população e no Legislativo municipal, que abraçaram a defesa do SAAE e se posicionaram contra uma privatização. O que mais se ouviu  foram cobranças por parte da prefeitura para mais investimento na Autarquia.

LojaoCosta-350x250px

Como o assunto tomou grandes proporções, para esclarecer sobre a situação e buscar explicar quais as medias deverão  ser tomadas para ajudar a autarquia, o prefeito Eures Ribeiro concedeu uma entrevista ao apresentador Cid Chales, na Rádio Baiana FM, nessa quinta-feira(14).

Durante a sua entrevista, o prefeito fez uma retrospetiva da Autarquia, destacando que a instituição é um patrimônio do município, e quando recebeu a prefeitura de Bom Jesus da Lapa, assumiu também a ineficiência do SAAE na época, e que antes o SAAE só andava no vermelho, se destacando com uma das instituição que  mais devia na cidade. E que no primeiro momento da sua gestão colocou Roberval para ser o Diretor, no entanto, percebendo a necessidade de ter alguém do quadro a frente da chefia da Autarquia, colocou Gerson Nunes, que é servidor de carreira, e conhecia bem a empresa. “Como tem uma empresa, que na sua história administrativa nunca tinha colocado um próprio funcionário para ser o chefe. Então eu peguei Gerson Nunes, que é um servidor de carreira e é muito comprometido. […] mais Gerson pegou uma abacaxi para descascar. Nós temos um sistema para atender 50 mil habitantes, e mas a cidade já tá chegando a 80 mil habitantes. Então é um sistema deficitário, e tem que ter um investimento”, disse Eures.

Ele afirmou, que mesmo com muitas dificuldade, Gerson Nunes ampliou o sistema com recursos do próprio SAAE, e passou a gerir a Autarquia no azul [em dia]. Lembrando que na Romaria deste ano, mesmo com o grande fluxo de pessoa na cidade, não teve reclamação da falta de água.

Ribeiro disse, que a falta de água registrada nesses dias, foi em função da queima de um transformador na estação do SAAE, e a Coelba demorou a resolver, o que fez a Autarquia receber muitas críticas nos últimos dias.

Sobre o áudio que causou várias polêmicas nas redes sociais, o gestor afirmou que na sua fala divulgada, ele não disse que passaria a instituição para a Embasa, destacando que se o SAAE não resolvesse os problemas que ele tem, ele iria terceirizar a empresa. “Não falei o nome de quem iria ganhar a  terceirização, até porque se algum dia o município for terceirizar, é uma licitação e eu não sei quem vai ganhar”, disse.

O prefeito afirmou, que nenhum momento cogitou a vinda da Embasa para Bom Jesus da Lapa, já que a empresa está falida, e começou a devolver as prefeituras a gestão dos seus sistemas em função da falta de recursos. E que foi essa a conversa que ele teve com o Diretor do SAAE.

Ribeiro afirmou que depois da sua fala um funcionário do SAAE se posicionou contra ele, afirmando que a situação que a Autarquia vive hoje a culpa da prefeitura, porque o prefeito  não paga as contas das instituições públicas municipais. Ele destacou que realmente não paga, e nunca pagou, e em nenhum município da Bahia e do Brasil a gestão paga. E que dos 417 municípios baianos, nas 250 prefeituras  que o sistema é administrado pelo SAAE, nenhuma paga. Pontuando, que se o SAAE é da prefeitura, como a gestão vai pagar para ela mesma. “Então não é só aqui. Prefeitura nenhuma nunca pagou. Os ex-prefeitos nunca pagaram. Desde quando teve SAAE aqui em Lapa, prefeitura nenhum nunca pagou água nas escolas e postos de saúde e em nenhum órgão. E em nenhum um lugar da Bahia e do Brasil, nenhuma prefeitura paga, desde que a empresa, o sistema seja dela. Agora se fosse terceirizada paga, se fosse a Embasa a prefeitura teria que pagar”, explicou.

O prefeito afirmou que durante a conversa dele com o Diretor Gerson Nunes, ele apresentou três problemas identificados nos Saae, os quais  não ajudam a autarquia a melhorar. Já que hoje já opera no azul, e está terminando de construir uma nova sede. E que o plano de saneamento básico que foi feito, o custo para melhorar a estrutura do sistema está orçado em 25 milhões.

E se aumentar a renda da instituição o SAAE pode pegar um financiamento. E que a prefeitura poderá começar a pagar a água recebida pela empresa, no entanto, vai ter que resolver algumas questões internas da Autarquia, já que tem funcionários ganhando acima do normal na instituição, o teto máximo, mesmo sendo aposentado. Afirmando, que tem cerca de dez funcionários nesta mesma situação. Criando um rombo na folha  de pagamento do SAAE todo mês. E que o Diretor tem que revolver essa situação.

Eures sinalizou, que muita gente fica falando que o SAAE é “nosso”, no entanto é de pouco mais de 6 pessoas que ganham altos salários. E que a Autarquia é patrimônio do povo, que está sendo usurpado por meia duzia de funcionários, e que os que ganham dentro do padrão não concordam com isso.

O prefeito destacou, que se o SAAE “tirar esse povo”[que recebe altos salários], e com o pagamento da água usada pela prefeitura, a Autarquia vai poder pegar um empréstimo, e regularizar a situação do sistema de abastecimento de água da cidade.

Assista a fala do prefeito na integra sobre o assunto:

Para elucidar e dar mais detalhes sobre a fala do prefeito Eures Ribeiro, o site Notícias da Lapa fez uma apuração junto ao TCM (Tribunal de Contas dos Municípios), pelo portal eletrônico e constatou que os valores pagos a determinados funcionários,  chegam a R$ 15.754,73, R$ 10.000, R$ 7.854,94, R$7.008,03 e outros na casa dos 6.000,00, conforme a ordem.

Resta agora saber qual será o encaminhamento da Autarquia diante das determinações do Prefeito Eures Ribeiro.