Ferrovia Leste-Oeste: Maquinário da empresa Valec é barrada na zona rural de Bom Jesus da Lapa; Quilombolas denunciam falta de autorização

0
LojaoCosta-350x250px

 

b8ecbc45-3d71-405e-b937-310de7aa8ac6Moradores dos territórios quilombolas de Bebedouro Capão de Areia e Araçá Volta, na zona rural de  Bom Jesus da Lapa, fizeram uma manifestação na manhã desta segunda-feira(1º) contra a empresa VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. por patrolar a estrada de acesso à beira do Rio São Francisco para extração areia sem comunicar ou pedir autorização da Associação, para a construção da Ferrovia Leste-Oeste.

LojaoCosta-350x250px

7fa1aa17-6bd0-464a-83e6-f880955c9aa1O grupo de moradores dos Territórios Quilombolas Araçá/Volta e Bebedouro Capão de Areia, fizeram uma barreira fazendo com que 20 caçambas e várias máquinas fossem impedidas de passar.

Segundo os participantes da manifestação que conversaram com o site Notícias da Lapa, a empresa tem agido com descaso desde o início das obras da Ferrovia, que estava parada, e agora que retornou os trabalhos, mais uma vez, tenta desrespeitar os territórios. “Desde o início da obra que a população está na luta, esperando que a VALEC cumpra o que manda a lei. E agora, eles entram com várias maquinas pesadas em nosso território para pegar areia, e ainda usando as nossas estradas onde trafega o transporte escolar, sem nos comunicar. Fizeram um estrago.  Um dos moradores foi passar e ficou atolado, e quando foi falar com o rapaz da máquina, ainda disse que ele deveria comprar um carro traçado”, disse revoltada.

66a67d04-7c31-4177-8248-e9ee0d663ff3Os moradores lamentam, que a luta para conseguir o cascalhamento da via não foi fácil, sendo recuperada recente, e agora as máquinas da empresa fizeram um estrago. “Está uma bagunça essa nossa estrada. Um poeirão terrível. [A VALEC] Sem comunicar à ninguém das comunidades, comunicou a um fazendeiro aqui, que não sabemos qual o combinado que fizeram, para tirar areia lavada de dentro do rio São Francisco. Falaram que o procedimento estava legalizado, no entanto não mostraram nada para a gente. Até nas áreas de APP mexeram sem falar nada para gente. Fizeram uma estrada”, afirmaram.

“Aqui em Bebedouros a gente não recebeu nada ainda. Nem medidas compensatórias, nem indenizou. E é conversando tudo com fazendeiros, e não conversa com a comunidade. E dentro de Bebedouro tem seis processos que ainda não foram desapropriados. E por não poder entrar na área que ainda não foi desapropriada, entrou dentro da comunidade, por isso barramos”, disse.

Até o momento a Valec não tem cumprido nada do que combinou com as comunidades quilombolas.

63e48ce6-9e1f-458b-b138-6fecde94a60fUm dos representantes da empresa compareceu no local, e afirmou que tinha conversado com um fazendeiro, e estava tudo certo, e que podia entrar na área porque não tinha sido indenizado ainda. Nós acabamos de conseguir uma estrada. Que tem mais de 100 anos que a gente tá lutando para ter uma estrada, ela não está 100% de qualidade, e vocês ainda vai piorar a situação?”, questionou um outro morador.

c74ca2a6-0c93-4fe4-bb23-3694eaf6a1c9Em resposta, de acordo com os moradores, o representante da empresa disse que recuperaria depois. Após muita conversa, não teve acordo, e as máquinas não puderam passar. A empresa retirou o maquinário, e ficou de retornar na comunidade para dialogar com os moradores.

Entenda o caso:

Existe um acordo feito pelo MPF, que a empresa VALEC não podem adentrar no território de Bebedouro, em Bom Jesus da Lapa. O pessoal da empresa está colocando os trilhos no trecho da Ferrovia que corta o município de Bom Jesus da Lapa e foram captar areia dentro do Araçá/Volta, passando pelos territórios de Bebedouro e Capão de Areia.

Não conseguimos contato com a empresa para se manifestar sobre o ocorrido. Fica reservado o espaço neste site para resposta da VALEC.

CLIQUE AQUI E CURTA A FANPAGE DO SITE NOTÍCIAS DA LAPA