Coribe  está entre as 10 melhores cidades em gestão da Bahia, aponta FINJAR

0
LojaoCosta-350x250px
Portal na entrada da cidade de Coribe/Foto: Divulgação

O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) revela que 1.856 cidades brasileiras não se sustentam, já que a receita gerada localmente não é suficiente nem para custear a Câmara de Vereadores e a estrutura administrativa da Prefeitura. Em média, esses municípios gastaram, em 2018, R$ 4,5 milhões com essas despesas e geraram apenas R$ 3 milhões de receita local.

O estudo é elaborado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), com base em dados fiscais oficiais de 2018, e aponta que 3.944 municípios (73,9% do total analisado) registram situação fiscal difícil ou crítica. Nesta estatística inclui 265 cidades,  ou 63,5% das 417 da Bahia,  com a pior gestão.

No lado oposto está Coribe, que ocupa o 7º lugar entre os municípios  com melhores gestões do Estado e 1º da região Oeste, de acordo a Firjan.  A lista com as dez cidades com “melhor ranking de gestão” são, pela ordem, Salvador, Candeias, Barrocas, Feira de Santana, Paulo Afonso, Alagoinhas, Coribe, Barreiras, Bom Jesus da Lapa e Ibirapuã.

No conceito “boa gestão”, ficaram as cidades que obtiveram resultados entre 0,6 e 0,8. Neste caso, são 35 municípios, porcentagem de 8,4% do estado. Além das 6 cidades que estão entre as 10 com melhores gestões fiscais no estado, aparecem Teodoro Sampaio, Mata de São João, Brumado, Lapão, Camaçari, Pojuca, Gentio do Ouro, Dias D’Ávila, entre outros.

O estudo da Firjan avaliou as contas de 5.337 prefeituras em 2018. Os dados são declarados pelos próprios municípios até 30 de abril de cada ano à Secretaria do Tesouro Nacional. Apenas 231 cidades não apresentaram os dados no prazo – ou declararam as informações com alguma inconsistência.

Acompanhe as publicações do site Notícias da Lapa no Facebook. Curta aqui.

LojaoCosta-350x250px

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui