Ibotirama registra a temperatura mais alta do Brasil nas últimas 24h; termômetros marcaram 40,8ºC

0
GrupoSCosta-350x250px

 

A cidade Ibotirama, no oeste da Bahia, registrou a temperatura mais alta do Brasil nas últimas 24h, conforme apurado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). No domingo (8), os termômetros marcaram 40,8ºC, com sensação térmica de quase 42ºC.

BahiaFArmShow-350x250px

Nos próximos dias, as temperaturas máximas esperadas na cidade fica entre 39ºC e 40ºC. Na sexta-feira (13), os termômetros poderão chegar a 41ºC.

De acordo com Cláudia Valéria, meteorologista do Inmet, as altas temperaturas na região oeste são comuns neste período do ano, que é considerado o mais seco. A estiagem segue até o mês de novembro.

“Nas últimas semanas, o oeste e o Vale do São Francisco registraram temperaturas elevadas, o que é comum nesta época do ano. Neste final de semana, as temperaturas ficaram ainda mais quentes no nordeste, em geral, porque outras regiões do Brasil foram atingida por chuvas”, explicou.

Ainda de acordo com a meteorologista, os 40,8°C não podem ser associados com a onda de calor que atingiu a região no último mês. Ela detalhou que, para configurar onda de calor, é preciso que a temperatura média da região suba cerca de 5ºC, por alguns dias – o que não é o caso.

No ranking das 10 cidades brasileiras com temperaturas mais altas no domingo, outras duas na Bahia marcam presença: Formosa do Rio Preto e Bom Jesus da Lapa, ambas na região oeste. Nas localidades, os termômetros registraram 40,2ºC.

Além do calor, os moradores de Ibotirama e outras cidades baianas enfrentam a baixa umidade relativa do ar, que varia entre 30% e 20%. Em situações como esta, o Inmet aconselha que os moradores bebam bastante líquido, evitem desgaste físico e exposição ao sol nas horas mais de maior calor.

Outro problema é o aumento da incidência de incêndios florestais, que se agravam devido às altas temperaturas. Nesta segunda (9), de acordo com o Corpo de Bombeiros, cerca de 200 profissionais atuam no combate ao fogo em 16 cidades das regiões oeste e norte, além da Chapada Diamantina.