Renova Energia irá construir complexo de energia eólica em Barra

0
LojaoCosta-350x250px

 

Ilustração

O  Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema), concedeu Licença Prévia para o desenvolvimento e implantação de um novo complexo de energia eólica na Região de Barra, no Oeste da Bahia, com potencial de geração de 576 MW. A empresa licenciada é a Renova Energia.

“Com a licença, reforçamos a consolidação do nosso pipeline, que contempla projetos com potencial de geração de 6 GW de energia em toda região Nordeste’, afirmou a Renova Energia nas redes sociais.

O Complexo Barra está localizado no centro-leste da Bahia e será composto por 14 Parques Eólicos.

A empresa anunciou ainda a construção de um segundo parque solar no município de Caetité, com potencial de geração de 127,5 MW.

Fortefarma-350x250px

Renova Energia está prestes a iniciar a operação do parque eólico Alto Serão III, Fase A

A empresa planeja começar a operar o Alto Sertão III ainda este mês. O complexo inclui 155 torres de geração, distribuídas em 26 empreendimentos pelos municípios de Caetité, Igaporã, Pindaí, Licínio de Almeida, Riacho de Santana e Guanambi.

O empreendimento é um pilar do plano de recuperação judicial. 

Nos três anos anteriores a Renova Energia estava com  pedido de recuperação, protocolado em outubro de 2019, a Renova fez várias tentativas de saldar seu passivo e buscar capital para a conclusão das obras do Alto Sertão III, mas nenhuma deu certo.

Naquele momento, depois que a AES Tietê desistiu de adquirir o Alto Sertão, tinha muita dívida, inclusive uma de cerca de 1 bilhão de reais (US $ 200 milhões) com o [banco de desenvolvimento] BNDES, e apenas 300 mil reais em dinheiro. Na época, a empresa do contratou a consultoria de reestruturação Integra Associados.

O plano de recuperação foi aprovado em dezembro de 2020 e seu primeiro pilar é a conclusão da fase A do Alto Sertão III. Esse é o ativo mais importante da empresa, e estima-se de cerca de 430 milhões de reais para concluí-lo. A estimativa é que gere Ebitda anual de 250 milhões de reais quando concluído, o que talvez permitia quitar passivos e voltar a desenvolver projetos.

Outro pilar do plano era a obtenção de um empréstimo, que foi fechado com a Quadra Capital, que serviu de adiantamento para o terceiro pilar, que consiste na venda de ativos. A empresa ainda vendeu os dois ativos mais líquidos da empresa, que eram a Espra, por R $ 262 milhões (para a Vinci Partners), e a Brasil PCH, por R $ 1,1 bilhão ( para o grupo Mubadala).

Com a conclusão dessas operações, a expectativa é que mais de 1,3 bilhão de reais sejam investidos na empresa. Com isso, conseguirá quitar uma dívida de R $ 1,1 bilhão e ainda conseguir recursos para terminar o Alto Sertão.

Essas vendas e o empréstimo foram o ponto de inflexão da empresa, que agora foi recapitalizada para cumprir o plano de recuperação judicial e ter estrutura para quitar as dívidas.

 Retorno com a parceria da Renova Energia com a GE Renewable Energy 

A empresa GE Renewable Energy fornecerá turbinas e serviços associados para o Parque Alto Sertão III. “É de extrema importância ter o fabricante do nosso lado. Também conseguimos trazer de volta a ABB , que é a fornecedora de equipamentos para subestações. Retomou a venda de equipamentos e serviços para a empresa, apesar do processo de recuperação judicial. Tudo isso foi resultado de um esforço conjunto, com o apoio dos credores, que acreditaram no projeto”, afirmou CEO da Renova, Marcelo Milliet, ao site BNamericas. Informações do Agência  Sertão.