Reforma da Previdência: INSS afirma que há “corrida” pela aposentadoria e nega mais da metade dos pedidos

0
LojaoCosta-350x250px
Muitos segurados estão fazendo o pedido de aposentadoria com medo de serem prejudicados pela reforma. (Foto: Agência Brasil)

O receio de ser prejudicado pela reforma da Previdência tem feito muitos brasileiros correrem às agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Mas, ainda sem direito à aposentadoria, a maioria dessas pessoas tem visto seus pedidos negados pela entidade.

O presidente do INSS, Renato Vieira, afirmou que, por causa da reforma, é normal que as pessoas peçam aposentadoria mesmo sem ter direito – e obviamente o pedido será indeferido. Dados do INSS mostram que, em 2019, até o dia 25 de setembro, dos 1.613.541 pedidos de aposentadoria, 713.428 foram concedidos, ou seja, 55,8% foram recusados e 44,2% aprovados.

Vieira explicou que muitos segurados estão fazendo o pedido de aposentadoria com medo de serem prejudicados, mas que ainda não têm direito de se aposentar. “Por isso, eles têm os pedidos indeferidos. Há fluxo maior de pedidos de pessoas que não têm direito”, disse Vieira em entrevista ao site G1.

Segundo ele, há casos de pessoas que sabem que não têm direito e pedem achando que o INSS vai conceder mesmo assim ou fazem o pedido sem nem saber se têm direito. Vieira recomenda aos segurados entrar na plataforma “Meu INSS” e fazer o simulador de aposentadoria. “Ali mostra se tem direito e quanto será o valor da aposentadoria”, explicou.

As solicitações de aposentadoria por tempo de contribuição tiveram a menor quantidade de autorização: dos 787.403 pedidos feitos neste ano, 259.162 foram concedidos (32,9%). Já na aposentadoria por idade, 55% dos pedidos foram concedidos – 454.266 dos 826.138 requerimentos. Em todo o ano passado, dos 3.404.726 pedidos de aposentadoria, 1.059.154 foram concedidos (31%).

A reforma da Previdência foi aprovada em primeiro turno no Senado. A votação em segundo turno pode ocorrer ainda neste mês.

LojaoCosta-350x250px

QUER COMENTAR?

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui