Reitor do Santuário do Bom Jesus da Lapa fala da reunião sobre romarias com público e celebrações  no Santuário 

0

 

Reprodução

Após reunião entre Santuário do Bom Jesus, comércio e Poder Público, o Reitor  do Santuário, Pe. João Batista,  concedeu entrevista a equipe do Jornal da Hora, da Rádio Bom Jesus FM, nesta sexta-feira (11) e falou sobre a atuação da instituição nos tempos de pandemia e sobre a possibilidade de realização das romarias com público.

Veja alguns pontos da entrevista

LojaoCosta-350x250px

Romarias e diálogos com a sociedade organizada

“Veja bem, a primeira coisa, saber que o Santuário do Bom Jesus, ao longo da sua história, tem realizado as romarias sempre dialogando com a sociedade organizada. Então, a gente tem um diálogo permanente com todas as representações da nossa cidade, do estado, do Governo Federal. Então, o que envolve, Polícia Civil, Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Secretaria de Saúde, Turismo, infraestrutura.  O poder municipal, o Poder Legislativo, Câmara de Vereadores, a OAB, Defensoria Pública , Ministério Público. Então, todas essas entidades, representações, elas participam da Romaria de forma direta e a gente tem um prazer enorme e é só assim que a gente pode construir um trabalho, realmente, seguro e de excelência pra o nosso povo. Então, isso é um ponto.  Então isso não é uma coisa desse ano, a gente tem realizado já há um bom tempo assim, tem que ser assim, não tem uma outra forma”.

Santuário x Responsabilidade Social e Espiritual 

“Sabemos que a coisa (Covid-19) tá muito presente, muito forte. E esse tempo pandêmico o santuário ele tem uma responsabilidade, responsabilidade espiritual, responsabilidade social, responsabilidade sanitária, responsabilidade com a vida, então  seria uma imprudência, até uma falta de juízo da nossa parte. Se a gente quisesse, agora, defender uma romaria, fazer uma festa, uma romaria, como nós sempre fizemos ao longo do tempo,  dos anos fora da pandemia. Então, isso seria uma coisa, assim, altamente fora da racionalidade. A gente querer, agora, defender e querer e realizar uma festa nos moldes que nós sempre realizamos. Então gente, isso é importante, deixar claro que é uma coisa absolutamente fora de cogitação, a gente realizar uma romaria no modelo que a gente sempre fez. Então pra tranquilizar a nossa cidade, as pessoas, os romeiros e também pra gente não ficar criando expectativas falsas e nem divulgar algo que não seja real”.

Reunião sobre a volta da romaria com público

“Nessa reunião que nós tivemos e que precisamos ter mesmo e dialogar sempre com as instituições, pensando na cidade, pensar no santuário, pensar o futuro do nosso santuário. Como que nós vamos fazendo as retomadas, né? Gradativas, depois que for sanando essa situação toda, essa problemática da pandemia que nós estamos vivendo. Então, a gente precisa discutir, porque só através de um planejamento, a gente pode avançar. Então, a reunião foi uma reunião produtiva, pra gente poder pensar sobre a retomada, como que a gente vai planejando a vida do Santuário daqui pra frente. Nesse contexto que a gente tá e daqui pra frente, com as festas que também se aproximam”.

“(…) Envolve  um quantitativo de pessoas muito grande na cidade de Bom Jesus da Lapa. Então, não pode ser de responsabilidade de uma única instituição, um, uma missão dessa, não é? Então, essa reunião, ela foi pra dialogar sobre a vida de Bom Jesus da Lapa, o santuário do Bom Jesus, que é um patrimônio da cidade Bom Jesus da Lapa e por que não dizer do nosso país. O santuário hoje extrapola as fronteiras do Estado, da Bahia e do Brasil, porque hoje nós temos contato com pessoas de fora do Brasil, que participam da vida do Santuário Bom Jesus da Lapa. Então a responsabilidade é muito grande. Outro aspecto é o seguinte, uma romaria ela não se realiza assim, de uma hora pra outra, ou na festa do Bom Jesus, por exemplo, que chega aqui cerca de quinhentas, seiscentas mil pessoas, como que a gente vai realiza uma festa dessa, faltando apenas poucos dias para começar? Nem dois meses mais, quarenta e poucos dias. Uma romaria, uma festa, ela precisa de uma mobilização muito grande,  não somente o santuário, mas destas outras entidades todas, elas participam. Assim, a gente não tem como realizar uma romaria, assim, num espaço de tão curto de tempo como esse. Isso é uma coisa, outra, nós estamos num tempo de pandemia”.

Cuidados que o Santuário já vem tomando

“Mesmo que não temos aquele fluxo de romeiros de visitantes como tínhamos antes e nem pode ser, né? Mas sempre tem uma outra pessoa passando aqui e tudo mais. E o Santuário tem assim, mantido um trabalho muito sério a respeito disso. Observando todos decretos do município e do estado, do Governo do Estado. Então, não houve, em momento algum, um momento pra gente dizer assim, não, esse decreto a gente não vai obedecer. Todo e qualquer decreto que foi feito pelo município, pelo estado, nós estamos obedecendo rigorosamente, porque sabemos que precisamos, assim, fazer como colaboradores nessa missão de sanar esse problema sanitário que nós estamos vivendo”.

Pioneirismo do Santuário com Romaria Virtual

“Outra coisa que também nos conforta muito, o pioneirismo do santuário do Bom Jesus da Lapa, né? Nós saímos, realmente, na frente, o ano passado,  até essa nomenclatura, eu lembro que eu fui entrevistado pela UOL e o repórter me falava, ‘padre, a gente procurou na literatura e não encontrou ainda essa formulação  de romaria virtual. Então, vocês podem creditar isso ao nome do santuário, porque Santuário Bom Jesus da Lapa, colocou na na literatura nacional, uma nova forma de se falar de romaria, que é romaria virtual´. Então, assim, algo muito interessante pra nós, né? esse pioneirismo, esse sair na frente, esse pensar lá na frente as coisas, tudo é em função da vida, defender a vida. Então, ano passado e nós começamos não na Romaria do Bom Jesus, nós já fizemos isso na Romaria do Terço dos Homens. Que foi no mês de março, maio. Então, ali a gente já tinha tomada a decisão de começar a fazer a romaria virtual que depois outros santuários assumiram. Assim uma coisa muito interessante pra nós.  A gente inaugura no vocabulário nacional da língua portuguesa, da nossa literatura, portuguesa essa formulação da romaria virtual”.

Celebrações e eventos no Santuário, como estão ocorrendo.

O Padre João Batista disse que as celebrações e batizados estão acontecendo, pois não há proibição para isso. O santuário segue os decretos e as celebrações acontecem com uma presença mínima, já que  “em nível de público, de massa, isso está absolutamente descartado pra festa do Bom Jesus ao menos. (…) O santuário tá aberto. Das seis horas da manhã, quer dizer, das cinco horas da manhã,  com o decreto municipal, até às dezoito horas. Tá sendo aberto pra pessoa poder vim visitar, entrar, pagar sua promessa, rezar um pouco, isso faz bem, mas não tem nenhum problema. Lá tem toda a segurança pra você, álcool gel disponível pra todo mundo, só é permitida a entrada de máscara. Nossos, seguranças acompanham isso.”